ADICIONADO AOS FAVORITOS
CADASTRE-SE CLUBE DE COMPRAS DE SUPLEMENTO

PREENCHA SEU NOME

VOCÊ DESEJA ?
EMAGRECER
GANHAR MASSA

Macro nutrientes na dieta Paleo

Teco Mendes Life Coach é entusiasta em nutrição desde sempre! Depois de muitas dietas erros e erros (o certo seria erros e acertos), conheceu o mundo Paleo, em 2012, e finalmente acertou. Ele se livrou da compulsão com a Paleo e com um monte de dicas e filosofia que detalha no começo de seu Blog! Se você estava até agora batendo cabeça, acho que sua busca acabou! O Coach é nosso colunista e hoje conta sobre a importância dos macro nutrientes na dieta Paleo. Tire suas dúvidas sobre essa dieta agora!

O coach e colunista Teco Mendes

O coach e colunista Teco Mendes

Então você já ouviu e tem ouvido falar sobre o modo de vida Paleo/LCHF , entendeu de onde surgiu o mito que gordura faz mal para a saúde no meu último post, já está vendo cada vez mais reportagens com estudos reforçando este fato e está pensando: “Ok, quero testar! Quero ver se funciona para mim e minha performance na academia será boa.”Ótimo! E espero que funcione para você, porque como já disse nós humanos evoluímos para usar gordura como fonte de energia e se você não se adaptar muito a isso, talvez você não seja humano! Se bem que esse site é de Maromba e “Mutante”, “Monstro”, “Animal” é elogio! haha. Brincadeiras a parte, vamos em frente.

Em primeiro lugar, vamos falar dos Macro Nutrientes, aqueles que tem calorias, que são gorduras, proteínas e carboidratos. Ser um queimador de gordura não é apenas acrescentar gorduras boas. E por gordura boa não entenda margarina, óleo de canola, de milho, etc. Pelamor! Gordura boa é azeite, óleo de coco, de abacate, manteiga, queijos, gordura animal! E isso inclui bacon e toda pele de frango e gema de ovo que um dia você já jogou fora. O mais importante é ter o controle muito grande dos carboidratos ingeridos. Se você ingeri-los em uma quantidade grande (digamos, acima de 150g/dia), seu corpo continuará sem o equilíbrio hormonal adequado e continuará dando preferência ao caminho enzimático para usar o carbo como principal fonte de energia e não de gordura. E um fato importante, é que ele usará o carbo não porque ele prefere, como você pensava, mas porque a glicose/açúcar no sangue é tóxico acima do máximo desejado (que é tipo uma colher para o corpo inteiro) e tem que se livrar disso com prioridade e, se seu pequeno estoque de glicogênio já estiver cheio, vai para as reservas praticamente infinitas de gordurinhas do seu corpo.

Então, repetindo, mais importante que colocar gordura (ou perder o medo delas) na alimentação, é baixar o nível de consumo de carbos. Com isso, o corpo vai começar a usar essa gordura como fonte de energia e o caminho enzimático vai mudar. Seu corpo passará de um queimador de carbo, e assim funcionando com alta demanda de insulina (o hormônio que entre outras coisas regula a quantidade de açúcar no sangue e estocagem de gordura), para um queimador de gordura com baixa demanda de insulina e com o caminho enzimático agora adequado com fácil acesso às suas próprias reservas.

Tá fácil? Mas, agora que vem o nabo (nabo é paleo). Isso não acontece da noite para o dia. É todo um processo de adaptação do corpo que estava há anos usando o combustível que não foi feito para usar. O corpo leva em média 3 semanas para se adaptar. São 3 semanas em que ele pedirá carbo e você não vai dar. E efeitos colaterais surgirão. É como a abstinência de quem larga uma droga (é como ou é exatamente isso?).

Então, vamos a lista de sintomas: Você pode ter dor de cabeça, enjôo, ficar meio aéreo (mental fog), sono e cansaço, compulsão por açúcar, fome e claro, seu intestino vai reclamar com diarreia ou prisão de ventre. A boa notícia é que você não terá todos eles, claro. A má é que provavelmente terá algum em menor ou maior grau. E conforme vai passando o tempo vai ficando melhor. E depois? É só alegria! Pensamento afiado, disposição, controle muito grande de compulsão, se sente alimentado o tempo inteiro, porque o corpo tem acesso fácil a energia das reservas de gordura com o novo caminho enzimático e não depende mais de uma fonte externa de energia (carbo) .E vários outros benefícios para a saúde que não estava otimizada e você não percebia como o estresse e inflamação crônica que você provavelmente tinha. Você está se alimentando como foi feito para se alimentar em termos de fonte de energia.

Mas, quão baixo são esses carbos para fazer essa transição? Eu recomendo bem baixo mesmo. Menos de 50g ao dia para acelerar o processo e seu corpo produzir corpos cetônicos para ajudar. Aliás, Cetose Nutricional, como é chamado quando o corpo produz corpos cetônicos para numa situação de ingestão restrita de carbos é extremamente natural, benéfica e usada terapeuticamente em diversas condições como Alzheimer, Mal de Parkinson, Câncer, Bipolaridade, etc. Você não precisa estar em cetose para se adaptar ou para ser Paleo/LCHF, mas muitos preferem estar, porque se sentem super bem. Mas, esse assunto merece um post dedicado só para isso.

Carb_Curve_x

De acordo com Mark Sisson, geralmente com menos de 50g de carbo você fica em cetose, de 50g-100g é o ideal para perda de peso onde o corpo poderá a voltar a regular o quanto de reserva de gordura, você precisa ter e não ficar acumulando “sempre” como era num estado de insulina alta por excesso de carbo (e também assim como regula sua quantidade de água, PH, temperatura, etc), de 100g-150g é manutenção de peso e acima de 150g você começa a engordar.

Mas, o que comer? E as proteínas? E as gorduras? E o que pode ou o que não pode. Eu sempre recomendo não pensar nisso agora. Você já está com muita coisa na cabeça contando carbos (use app no seu smartphone como myfitnesspal ou fatsecret) e lidando com os possíveis efeitos colaterais. Relaxa e siga sua fome com tudo mais. Seu foco é só se adaptar e nada mais. Só conte os carbos e segure firme. Claro que todo o resto importa, mas seguir sua fome sempre é um ótimo indicador e mesmo após a adaptação você vai sentir o corpo regulando através da fome que diminui. É assim que ele funciona e sem a necessidade de carbo de fonte externa, ele não irá catabolizar usando massa magra para produzir carboidratos. Sua necessidade diária de carbo passará da média de 120g para funcionamento do cérebro e outros tecidos como esquelético e cardíaco para cerca de 50g com a nova bioquímica do corpo. E isso ele produzirá usando aminoácidos de sua alimentação mesmo que você consuma zero carbo num processo chamado gluconeogeneses. Isso mesmo! Sem precisar mais comer de 3 em 3 horas! Parece tudo muito “louco” e até impossível. Pois é! Mais louco ainda é imaginar que era para sempre ser assim antes do medo de gordura ter sido instalado. Enfim, estude! No meu blog tem referências de livros e outros blogs técnicos. Consulte um nutricionista (PALEO!), um médico (PALEO!) e eu também estarei sempre disponível para ajudar neste mundo novo de mais de 2.6 milhões de anos. E quando você desanimar pensando sobre as 3 semanas de adaptação, imagine o que isso significa comparado com o resto de sua vida!

Um abraço e até o mês que vem!

Fonte: Teco Mendes e Bom Corpo.

AVALIE ESSE POST

AVALIAÇÃO REGISTRADA COM SUCESSO
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

RUIM

EXCELENTE

4 AVALIAÇÕES MÉDIA 7.5

VEJA TAMBÉM